terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Luiza



                                     Luiza                 

                         Minha filha caçula, a Luiza, hoje está competando seus 21 anos! Meu Deus,como o tempo passa rápido e os filhos crescem e a gente nem vê! Eu diria isso para cair no lugar comum e para fugir das verdades que desmentem essas frases feitas que nos embalam pela vida a fora! Passa rápido nada - e a gente vê eles crescerem sim, dá um trabalho danado! Trabalho maior mesmo é em ficar preocupado se "vai dar certo", se estamos caminhando com segurança nessa história de educar filhos. Sempre me preocupei em criar filhos objetivando dar-lhes raízes e asas. Raízes naquilo que temos de herança genética, de experiências com nossos pais e irmãos, nas tradições herdadas, na busca de um Deus para nos confortar, coisas assim... mas o legal mesmo é construir as asas para que eles possam julgar e optar pelo que encontraram de bom e de mais seiva mesmo para lhes alimentar os sonhos; asas que lhes transporte à busca da felicidade mas que também os traga de volta ao porto seguro que os espera sempre no cais de braços abertos para redefinir caminhos, plantar novas buscas, compartilhar desejos. E mesmo no ausente convívio que tive com meus dois filhos do meu primeiro casamento, sempre nos procuramos na renovação dessa perspectiva de cumplicidade na busca da felicidade.
                        Sempre que falo com meus filhos a primeira preocupação que tenho é saber se estão felizes... e se estão, a partir daí é tudo muito mais fácil. Claro que nunca os imagino abobalhados e risonhos num permanente estado de graças: os quero felizes nas lutas, nas buscas, nas metas a curto prazo que poderão lhes ser úteis logo ali na frente, na virada da próxima esquina que lhes trará a nova surpresa. E essas asas que procurei lhes dar são frutos do que li nos livros de literatura e nos escolares também, das peças que assisti, das solidariedade que vi passar diante de meus próprios olhos, das paisagens das viagens e dos discos que ouvi. E  não adiantaria nada lhes contar tanto se também não lhes apresentasse meus exemplos, minhas atitudes diante dos fatos da minha vida: não só vi a banda tocar mas também estava na turma do aplauso e ainda tocando tambor para difundir minhas ideias. E a partir do que fiz de bom ou ruim, eles tiveram um parâmetro para saber o que  de legado transmiti para incorporar aos seus valores.
                          Fui falar da Luiza e acabei falando mais de mim do que dela!. É que nossa vida ainda se confunde nas emoções que dividimos e que nos construiram pai e filha, numa jornada espetacular que pode até ter curado alguns dos meus dissabores,mas que certamente deram um novo norte aos meus dias. Luiza contagia com sua alegria, seu carisma, seu carinho! Tem o abraço e o cheiro daqueles nascidos para dar paz! Tem uma forma espoleta e ao mesmo tempo doce no seu trato comigo. Amo-a pelos acertos e pelos erros, pelas noites encolhidinha no canto da cama e também pelas noitadas preocupantes que sempre acabam de dia, pela delicadeza de seus traços físicos e por esse sorriso que abranda qualquer dificuldade. Querer que ela fosse mais estudiosa e menos baladeira, seria não querê-la Luiza. E o que faço mesmo questão é de tê-la assim, displicente e densa ao mesmo tempo. Finge que não está nem aí para o que ocorre ao seu redor mas está sempre observando, sempre me perguntando onde estou e se estou bem. E quando se despede falando "Juízo, pai!rsrs" me derreto todo, um Pai Nosso mesmo, criador e criatura de momentos tão lindos.
                         E nessa data em que comemora seus 21 anos só posso mesmo lhe desejar felicidades! É tudo que ela precisa para se fazer (e a mim também) a pessoa mais importante do mundo! E mesmo que todos digam que é a cara da mãe e que a Claudia fique toda cheia com isso, sei que ela tem o pé "a cara" do pé do pai! Bom demais se orgulhar dessa menina. Beijo de pai para você, querida Luiza!



PS: Falarei da Nanda no dia do seu niver também, já está quase chegando. Outra filha, outra história!

4 comentários:

Fátima Cerqueira disse...

Você me surpreende nas coisas do seu dia-a-dia. Quando fala dos filhos,da prima, do abacateiro, do telhado, do piano. Outro dia foi o olhar do Saulo, hoje Luiza que parece saltar luz pela foto. Parabéns, menina Luiza!!!! Apesar de não conhecê-la, ouço muito falar de você. Sempre com palavras de carinho. Esse seu pai orgulha-se muito de você!

luiza disse...

Fiquei emocionada com suas palavras pai!Completo meus 21 anos longe de vc mas em busca dos sonhos q me permitiu buscar!Como é bom ter um paizaoo assim,me orgulho sempre quand falo de vc,e sempre termino a frase..O MEU PAI É O MELHOR!Melhor nao por ser tao atencioso,carinhoso e companheiro sempre,mas sim por ser meu,meu heroi!Queria esta agora com vc dividindo minha alegria dos 21 anos,idade de juizo,mas pra q juizo quand se fala d luiza né?hihi
Obrigado por tudo,obrigado por seu o melhor pai mais presente mesmo q ausente!Te amo tanto,q só d te ver jogando PACIENCIA 24h ao dia,ja me deixa feliz!=)
Juizo ta??ate em breve...bjbj da Luu!

rodolfo Freire do Nascimento disse...

A Luiza é muito sortuda de ter um pai como vc!Você é um PAI que muitos filhos gostariam de ter, principalmente euuu né!kkkkkk...Te admiro muitooo por vc ser sempre esse pessoa companheira e amiga que vc é!
abração....

Thiago Padilha disse...

Parabéns Luiza, prima linda que estimo muito