quarta-feira, 12 de maio de 2010

Teatro Amador do Grupo Reviver se apresentou em Juiz de Fora


                        Chegamos a um centro maior! rsrs

                                 No dia 7 de maio, o nosso Grupo de Teatro Amador da Terceira Idade se apresentou finalmente em Juiz de Fora-MG, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas, da FUNALFA, satisfazendo um grande sonho nosso de nos apresentarmos em uma cidade maior e  num Teatro com palco, luz, som, tudo mesmo tecnicamente adequado para uma apresentação teatral. Claro que cada apresentação em qualquer local é importante: seja numa praça, numa quadra de esportes, numa sala de uma agremiação qualquer e principalmente numa escola (aliás, importante abrir um parênteses aqui para salientar a satisfação de nossas apresentações já pelo segundo ano consecutivo na Escola Estadual Arthur Bernardes, de Palma, onde a diretora faz questão de nos levar como forma de mostrar arte e cultura para seus alunos e o povo palmense em geral, numa perceria que só nos encanta pela forma carinhosa como somos recebidos): mas é claro também que faz parte do sonho de quem trabalha com arte se apresentar um dia num Teatro com aparato próprio para as apresentações.
                         E lá fomos nós, um grupo de "coroas artistas" que alugamos uma van para nos apresentarmos numa cidade maior e a mais distante das que já nos havíamos apresentado. O tal  friozinho na barriga só foi superado pela alegria contagiante desses mais de 500 anos de histórias pessoais que se uniram para contar a todos "Um conto antes que nunca mais!"... e mesmo a viagem sendo mais longa e até mesmo um pouco desconfortável, já que no veículo estávamos 13 pessoas, fomos felizes da vida viver o nosso destino, como aquele anão da peça que "se casou com uma morena que conheceu num baile do Grupo Revier e foi viver o destino dele lá na rua Nova" . O resto, foi mesmo só emoção: o Centro Cultural é enorme e super bem equipado, com galerias de arte para exposições e salas de oficinas , videoteca, um imenso salão para aulas de dança e também exposições maiores, uma imensa biblioteca Municipal com um grande fluxo de pessoas pesquisando em computadores e livros, enfim, uma infra-estrutura que nos deixou boquiabertos. E lá num cantinho super especial, estava ELE, o nosso primeiro Teatro de Verdade! Subir num palco assim creio que seja viver a mesma emoção de uma criança pedalando em sua primeira bicicleta; a magia daquele palco com aquela iluminação mágica nos fez artistas de verdade; no camarim, até mesmo armários individuais para que cada artista se organizasse com seus pertences. O público com cara diferente porque estranhos a todos nós, fazia aumentar ainda mais nossa ansiedade. Alguns miracemenses que já vivem a muito tempo em Juiz de Fora foram nos prestigiar  orgulhosos de terem visto nos jornais da cidade a notícia  da apresentação de um grupo teatral de sua já distante Miracema... até mesmo uma amiga da net que mora em São Vicente (SP) foi lá especialmente para assistir nosso grupo e junto a ela também estava uma outra grande amiga que eu não via a tempos! O jornalista Renato Mercante que também estava presente, depois me mandou um "scrap" falando do orgulho que sentiu de ver a arte de nossa cidade sendo apresentada lá! Um outro grupo de Juiz de Fora, também de Teatro da Terceira Idade, do Forum da Cultura da UFJF, também prestigiou-nos com muitos de seus componentes na plateia. 
                                      Durante a peça, muitos risos com as graças dos personagens e muita atenção nas mensagens do texto. Terminada a apresentação, calorosos aplausos da plateia de pé que não se conteve e foi para o palco em sua maioria para cumprimentar a todos do grupo e fotografar, abraçar, perguntar pelas pessoas de Miracema, incentivar, comemorar, aplaudir.
                                     Foi uma noite memorável e que só poderia mesmo ter terminado quando, já bem tarde em nosso retorno, paramos num bar na praça de Maripá de Minas para fazermos um lanche e alguns até tomaram uns copos de vinho, apreciando o belo coreto que tem naquela praça que nos recebeu no nosso cansaço e na nossa alegria dessa vida de artista. Viemos de lá com a certeza de que não queremos viver disso,  mas queremos viver nisso! E já até temos data marcada para retorno: nos dias 29 e 30, deste mês de  maio ainda, nos apresentaremos de novo em Juiz de Fora, desta vez  na Casa da Cultura da Universidade Federal de Juiz de Fora! E lá vamos nós! rsrsrs    

5 comentários:

Fátima Cerqueira disse...

A noite do Grupo Reviver de Miracema, em Juiz de Fora, foi realmente de glória. Eu estava lá com minha filha. Há muito não ria tão solta. O Grupo fez-me soltar o riso frouxo da adolescência. Todos estavam ótimos e se houve algum deslize não dei conta, tudo era festa. Vocês estão na melhor idade e dá uma inveja danada, na disposição de quem já fez tanto, nos propor tão bons momentos. O Espaço Mascarenhas absorveu todos vocês e nos contagiou. Obrigada, pela apresentação! Voltem sempre.

Sara Siqueira disse...

Foi linda a apresentação! Tudo tão bonito e divertido! Fico cd dia mais feliz em ver o pessoal do nosso curso crescendo! Parabéns, voc~e merece!

Angeline disse...

Puxa vida! Fico orgulhosa a cada dia mais de ser miracemense. Há coisa, como diz um amigo miracemense, que só acontecem em Miracema e na novela. Agora vou dizer, há coisa q só acontecem em Miracema! É o Teatro do grupo Reviver.
Parabéns ao grupo!
Da forma q o Marcelino relata, sinto-me lá, com todos os arrepios e gargalhadas de uma estreante, no meio da peça!

Glória Vargas - Barco de Papel disse...

nossa chegada a Jf foi alviçareira,(como diz o meu amigo aqui),palavra do tempo de D.João charuto, fôra super emocionante,nem podia acreditar!!! Quanndo chegamos ao cair da tarde naquela Manchester Mineira ,sentimos de imediato o clima de uma cidade hospitaleira,e foi comprobatória mesmo , ao adentrar aquele teatro do Centro cultural Bernardo Mascarenhas, além do casarão que nos trouxe reminiscência romântica do período colonial,com sua austeridade,e beleza incontestáveis e um palco respeitável!O Grupo Reviver de 3ª
dade,quem diria fosse receber tamanho afago naquela noite de estréia,recepção sob o aplauso de um público que delirava enquanto cada personagem desenrolava seu texto ,numa releitura sempre inovadora a cada ovação,era sim para cada um de nós uma deliciosa massagem ao ego singelo do pessoal em cena!aquela história dos copos de vinho, uma era eu a bailarina louca de botero,mas não comemorava sozinha a volta memorável de JUIZ de FORA, entre tantas alegrias de poder voltar aquele lugar de grandes palcos e receptividades multilplas!

marly disse...

Você soube expressar perfeitamente o que sentimos ao nos apresentar em Juíz de Fora! E também a alegria de termos sido tão bem recebidos e tão aplaudidos! Foi tudo muito bom mesmo!
Mas se esqueceu de contar que já temos um convite para nos apresentar em Maripá de Minas, faltando apenas a confirmação.